quinta-feira, 26 de março de 2009

Traçando as rotas e acalmando a alma

Ontem à noite, depois de assistir ao Lost, eu e o Ravi tivemos uma boa conversa, na verdade eu que falei mais que a boca, mas foi muito bom, desabafei e dormi muito mais leve.
As minhas maiores preocupações são com o fato de ter que ficar aqui para sempre. Eu gosto daqui, mas sei que existe um mundo enorme que eu quero conhecer de perto, não só ir em viagem, mas viver.
Quando nós viemos, combinamos que esse não ia ser nosso destino final e nós vínhamos conversando sobre isso até nos mudarmos, mas depois nunca mais falamos disso e acho que isso ficou na minha cabeça me incomodando. Como o Ravi mudou de emprego agora e, passou por muitas barras, eu não o quis incomodar, mas essa aflição estava me fazendo mal...
As minhas expectativas de morar fora não são nem um pouco relacionadas a riquezas materiais, pois não temos problemas em viver de forma simples, mas sim em experiência de vida. Enxergo como ninguém o quanto enriqueço a minha vida com as minhas experiências, mesmo as mais difícieis, ou as que tive indo morar não muito longe de onde sempre morei e não quero para por aí.
Eu tenho uma sede de viver e conhecer que beira a loucura, talvez seja herança de algum ancestral nômade, ou até dos meus pais, que foram embora de sua terra natal em busca de uma vida diferente, mas ainda bem que encontrei o par perfeito, porque o Ravi, como eu, nunca se enxergou parado em nenhum lugar.
O melhor da conversa foi ele ter me falado que também continuava pensando nisso.
Combinamos de arrumar a nossa situação por aqui, tirar a P.R. (é assim que escreve?) e depois procurar um novo terreno.
Sou muito feliz aqui, mas quero ver o Mundo, antes de ir para o meu destino final que é o Brasil.

6 comentários:

Nê & Lelê disse...

Isso mesmo!! Em cada lugar que vamos enriquecemos como pessoa. Eu tbm quero conhecer o Mundo, eu sei que o Mundo é mto grande, mas parte dele quem sabe??

Bjinhuuss

Soraya Cruz Wallau disse...

Bjinhos, Nê!

Criska disse...

Entendo perfeitamente o que sente, Soraya, pois tenho o mesmo anseio.

Mas lendo os relatos de vcs e de muito amigos que moram em diversos países (parece que é mais comum do que imaginamos porque quase TODOS os meus amigos estão emigrando); apesar da experiência no exterior, e parafraseando Dorothy, Em O Mágico de Oz, não há nada melhor do que o nosso lar... Brasil!

Meus 50% de brasilidade é muito nacionalista...rs

Soraya Cruz Wallau disse...

hahaha. Pois é, estou bem para Dorothy, só preciso ir pra Oz primeiro. hahaha.
Bjinhos!

Janine disse...

Ihhhh, "Déjà vu" minha querida!
Olha Soraya, tambem sou bem nomade e jah morei em muitos lugares diferentes, ateh em Taiwan para voce ter uma ideia, daih depois que parei em um lugar soh, me deu uma coisa no peito, uma ansiedade danada. Mas te falo uma coisa que eu comprovei este ano, amo o Brasil POREM nao tenho vontade de morar aqui mais. Hoje nao, talvez no futuro.
Maravilhoso mesmo eh colocar a cabeca no travesseiro a noite e pensar que voce eh uma pessoa melhor por ter sabido resolver seus conflitos interiores com a atitude certa.
Grande beijo e vamos nos falando.

Soraya Cruz Wallau disse...

Legal, Janine!
Vamos nos falando!
Bjinhos