sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Oh eu aqui!

Olá pessoas amadas, lindas e perfumadas!
Cheguei aqui no Brasil um dia depois da Big inundação, mas felizmente não vi nem sinal de que ela tinha ocorrido. Os dias estão quentes, mas Sol que é bom eu ainda não peguei.
O Arthur está todo feliz com a priminha Cynthia, até dormem juntos, caídos de cansaço, pois ficam andando de bicicleta, correndo e na piscina o dia todo, até banho de chuva eles tomaram ontem, como era uma garoa, e eu tive infância, deixei os dois se divertirem.
Ontem veio uma costureira aqui para fazer umas coisinhas e nós compramos tecidos para ela fazer um jaleco de cientista para cada um, eles ficaram lindos (os jalecos) e o Tutu ficou parecendo o Menino Maluquinho. hahaha. Lindo também!
Sobre a viagem:
O voo para Dallas foi bem tranquilo, adiantaram alguns minutos, mas ele pareceu bem longo, pois não tinha televisão e nós chegamos em Dallas anoite.
Descemos no aeroporto de Dallas com a maior pressa já que o meu voo pro Brasil seria 40 minutos depois, mas nos perdemos no aeroporto, que é lindo e enorme. As informações do nosso voo estavam completamente diferentes das que nós pegamos na internet, desde o portão de embarque em Calgary, até os portões de embarque em Dallas, então eu que tinha que descer no portão 30 para pegar o próximo no 31 desembarquei no 20 para embarcar no 33, então fomos seguindo as placas e a que estava na minha frente parecia me mandar para o andar de cima e nós demos de cara com uma estação de trem, super futurística, e os olhinhos do Tutu brilharam: "Mãe, a gente pode dar uma voltinha, pleeeeeease!".
Bom, tá no inferno abraça o capeta, não sabia que horas era, pois esqueci o meu relógio em casa e nem se ao chegar no portão se seria o certo, então resolvi seguir com o bichinho, pena que não deu tempo de pegar a máquina, pois foi bem legal, e ele nos levou ao nosso portão, que mais parecia o portão do inferno, cheio de gente, funcionários mega estressados, gente falando alto, a maior diferença de Calgary, onde todos esperavam sentados tomando alguma coisa e só levantavam quando chamavam o seu grupo. Percebi como é fácil identificar brasileiros no mundo. O Arthur ficou um pouco assustado, pois parecia que ia acontecer uma briga a qualquer momento.
Ao apresentar o cartão de embarque o rapaz percebeu que nos nossos cartões tinham um erro, fiquei meio tensa, mas aí ele foi bem gentil e tomou as providências bem rápido, eu ia ficar no primeiro grupo de cadeiras, na última fileira e o Arthur no segundo grupo última fileira, alguém fez uma confusão e nos deixou separados, mas ele nos colocou juntos e com um brinde, o Arthur ia ter mais um assento livre do lado para deitar e o meu vizinho um senhor americano, também teve espaço para se deitar ( nosso acento era de 5 bancos) e eu fiquei sentada, mas bem confortável.
A viagem foi tranquila o Arthur fez amizade com uma menininha de nome Isadora, filha de mãe brasileira e pai americano, então os dois bateram o maior papo em inglês e depois dormiram como anjos. O Arthur só acordou quando chegamos em São Paulo.
Meu pai, a Fabi (minha comadre prima-gêmea) e a Cynthia estavam lá nos esperando e a gente ficou muito feliz em vê-los.
Agora estamos só na curtição e nos preparando para o Natal que logo mais já chega.
Bjinhos para todos e até outra hora

6 comentários:

Pai dos trigemeos disse...

Puxa! Que otimo! Viagem tranquila, chegaram bem.
Agora eh so curtir.
Os 3 entraram de ferias hoje.
Beijao pra todos,
Octavio

Soraya Wallau disse...

Otrô!

Lidy disse...

Oi Soraya,

que bom ter notícias suas !!!!
Aproveita por mim também tá ?
bjão

Soraya Wallau disse...

Pode deixar, Lidy!
Bjinhos

Eliane disse...

Oi Sô,
que bom que apesar dos pesares tudo deu certo, esse aeroporto é lindo mesmo. Curta bastante. Beija muito a Semirâmes. Não se preocupe que vamos cuidar muito bem do Ravi no ano novo. hahahaha.
Bjkas, Eliane

Walkiria klimeika disse...

oi Sorelha Mafalda!!!!
Puts meu!!!!!!!
você ainda não postou nada sobre nosso natal.
Mas estou muito feliz com sua presença aqui no Brasil. Não posso perder a oportunidade de dizer o quão vc é especial, eu sou especial. Vamos resumir............
Como família é importante. Tenho me sentido muito afastada dos convivios da família. E esse nosso natal em JaGUA (como diz a Táta)Me fez despertar.
Foi tudo muito bom!!!!!!!
TE adoro maninha querida.