quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Achando luz na caverna escura da ignorância

Ontem foi o meu primeiro dia no curso, tive uma sensação tão estranha, como se tivesse me jogado de Buggy Jump e descobrisse no meio do salto que aquilo era a melhor coisa do mundo, entrei na sala com uma dúvida se estava fazendo a coisa certa comigo - eu não tive muitas aulas de inglês, meu vocabulário é limitado, minha gramática é tosca - enfim, o que estava fazendo naquele lugar? Só podia estar sendo pretenciosa.
Bem, a aula começou e a professora (não lembro o nome dela) se apresentou para a classe, disse que foi curadora do museu de arte, Glenbow, é especialista em design de jardins e em arte moderna, é crítica de arte e uma porção de outras coisas, daí perguntou para cada um quais eram as suas expectativas, sua área de atuação, nome, etc. Eu fiquei com o maior medo, não sabia como explicar, tava com medo de soar ridícula, mas aí, depois de todos falarem de forma tão a vontade, me senti aliviada, percebi que todos que estavam ali eram como eu, em algum momento eles tinham começado, em algum momento eles simplesmente estiveram por ali por simples curiosidade, por simples impulso para algo que lhes atraía, e eu falei. Expliquei que estudei psicologia por pouco tempo, mas que isso ficou dentro de mim e me fez ver o ser humano por uma outra perspectiva, que comecei a olhar as obras de arte como se tivesse vendo o próprio artista, como o ser humano usa certos materiais como forma de expressar o seu interior, e saber mais sobre arte, apreciação, avaliação e história, pode ser um caminho para entender o próprio artista. Ela ficou bem contente com a minha curiosidade, falou que a filha dela trabalha com algo muito parecido, que estudo sobre o uso do corpo como arte, o corpo como ponto principal em vários meios artísticos.
Tivemos uma aula em que tinhamos que falar sobre uns objetos que ela nos deu para análise, dizer o material, forma, se era feito por uma ou muitas partes e dizer para que achávamos que servia, o meu foi um barquinho de latão que quando a gente acende uma vela e coloca um pouco de água flutua, eu já tinha visto em um desenho um desses, mas não sabia como colocar a água, e o outro objeto ela um instrumento musical que mais parecia um coçador de costas, mas que eu chutei ser um porta cartas (conseguem imaginar, pois ele era estranho mesmo!).
Depois tivemos uma explicação de como o curso ia funcionar: trabalhos individuais, idas em exposições, trabalhos em grupo e participação em classe, tudo conta pontos.
No fim tivemos uma aula sobre cor, como é usada, o significado para certas culturas e a importância de certas cores para certos artistas.
Gente, eu sei que saí de lá com a sensação de que estava no lugar certo, que a minha curiosidade por certos assuntos são muito úteis, que não é vergonha saber as coisas, mesmo que seja algo que ninguém dá muita importância. Uma vez me disseram que a minha mania de ler e a minha curiosidade por comprar livros de arte e saber mais, eram uma fuga, que eu estava fazendo aquilo para ser diferente, que eu estava me escondendo, pois bem, acho que me achei e estou muito feliz comigo mesma.

6 comentários:

Pai dos trigemeos disse...

Soraya, ainda tem vaga nesse curso?
Muito legal, hein? Eu pressentia que voce ia gostar. Agora, querer saber mais nunca foi vergonha pra ninguem. Afinal, quem sabe tudo? A gente precisa estar aberto pra aprender, sempre, nao eh?
Vou querer saber mais das aulas, fiquei curioso com o andamento do curso.
bjs

Soraya Wallau disse...

Valeu, Octavio! Bjão

The Land of Wind disse...

ai que legal que voce estah fazendo um curso novo, So. E melhor ainda, se encontrando nessa sua nova empreitada. Boa sorte com tudo e vai de cabeca mesmo, a arte eh um misterio desvendado de maneiras diferentes, por olhos diferentes.
Um beijo e aparece..finalmente atualizei o blog.

Soraya Wallau disse...

Valeu, Nine! Bjinhos

Doces Abobrinhas da Roberta disse...

que bom que tais feliz! O curso será 10 então! um beijo de maracuja, rs!
roberta

Soraya Wallau disse...

Ahhh, Roberta! Um dia eu ainda experimento o sei cupcake! Bjinhos!!!