quarta-feira, 6 de maio de 2009

Vamos emagrecer?

Estou com vontade de voltar a fazer caminhadas, parece que o tempo agora vai ficar cada vez melhor, ontem choveu, o que para mim é um sinal de que o estoque de neve acabou.
No inverno a gente tem uma tendência forte a engordar, pois comer esquenta, ficamos mais tempo em casa, passamos mais tempo dentro de um casaco, e por mais um monte motivos e desculpas esfarrapadas que nós gostamos de inventar. O ano passado eu percebi que estava engordando, daí resolvi começar a caminhar, o que me levou a correr depois de um tempo e eu sobrevivi ao inverno sem ter que trocar o guarda-roupas, para falar a verdade eu ando resistindo por pura preguiça, sim, eu tenho preguiça de experimentar roupa quando vou às lojas, então faço de tudo para não engordar, sempre compro calça na Renner, no número 38, desde que ela abriu e quando percebo que as minhas estão um pouco apertadas vou para a minha caminhada, só pra não ter que trocar de tamanho.
Quando eu engravidei entrei em pânico, então fui em uma loja de grávidas e comprei tudo ajustável, macacão que aumenta conforme a barriga cresce, calça com cordinha, batas que pareciam uma tenda, vestido baby-look e por aí fui. Amamentei o Arthur até os dois anos e nesse meio de caminho voltei ao meu tamanho e até sequei demais, no batismo dele eu já estava bem fininha e as roupas ficaram largas, então fiz uma dietinha de engorda e voltei ao meu número.
Neurótica, eu??? Que nada!
Mas não deixo de comer as coisas que eu gosto, amo picanha, carne de porco, pão...e nem diminuo a quantidade do que como, só aumento o exercício, ah! e tomo chá, muito chá! E tento não comer até sentir a barriga doendo, como para matar a fome naquele momento.
Acho importante olhar a geladeira e pensar: "tenho comida em casa, se sentir fome posso comer a hora que quero, sendo assim, vou comer o que o meu corpo precisa", é como se fosse um mantra. Às vezes, a gula bate e aí queremos fazer estoque de comida, como se fôssemos passar fome dali a pouco, mas não tem necessidade. Chocolate, por exemplo, não é comida, não temos que comer chocolate pra matar fome, mas sim a necessidade de açúcar, ou o simples desejo por chocolate, então eu compro o que eu mais gosto no mundo, o mais gostoso de todos e degusto, como um pedaço e depois guardo, para outra hora, nessa brincadeira tenho um monte de chocolate guardado no armário, incluindo os do Arthur da páscoa.
Bom, meu amigos, vamos deixar a preguiça de lado e vamos ficar lindos, pois o verão está chegando e é quente pra dedéu, nada de se esconder em roupa larga, hein?!

4 comentários:

Pai dos trigemeos disse...

Opa, senti firmeza, um esporte eh sempre bom.
beijos

Soraya Cruz Wallau disse...

Pode crer!
bjos!

Ellie disse...

Eu concordo com vc no sentido de comprar o que gosta mesmo e comprar o suficiente, comer um pedacinho e guardar o resto. Tambem faco isso.

Se eu morasse ai no Canada eu iria fazer caminhada com vc...

Soraya Cruz Wallau disse...

Ah! E eu ia adorar ter alguém pra caminhar comigo!!! Bjinhos!!!