terça-feira, 26 de maio de 2009

Enquanto isso no curso de inglês...

Eu estava conversando com a minha vizinha paquistanesa e ela me perguntou se eu estava gostando do curso e eu respondi que sim, e ela perguntou o por quê de eu gostar, daí eu falei que adorava encontrar pessoas para bater-papo, meus amigos, meus parentes, indo lá eu mato um pouco a vontade de papear.
É bom exercitar na rua com as pessoas, mas nem todas têm o mesmo dom que a Marla tinha de me ensinar, eu aprendi muito com ela, mas agora as minhas amigas gringas têm um inglês tão macarrônico quanto eu, daí fica difícil melhorar.
Na escola a aula é toda de conversação, o professor dá um tema e a gente bate-papo, tem exercícios escritos também, mas todos são para reforçar o fato da gente escrever de um jeito mas pronunciar de outro.
A única coisa que me chateia um pouco é quando alguém me interrompe quando eu estou falando e tem uma maluca da India que não consegue ficar sem responder a tudo que o professor fala, aí eu fico meio frustrada e travo.
Tem gente que não se manca e não entende que pra algumas pessoas falar pra um monte de gente é mais complicado...pra mim é quase impossível. Reparem, eu estou sempre conversando com umas poucas pessoas, se o grupo aumenta eu dou um jeito de fugir, principalmente se eu preciso gritar pra alguém me ouvir, daí eu já nem falo, minha cabeça não se prende na conversa quando tem muita barulheira. Não é timidez, não! Eu não sou nem um pouco tímida é trauma de quem viveu em uma casa lotada de gente sempre. hahaha.
Bom, mas a aula está me ajudando muito, eu sinto que melhorei e que tomo mais cuidado para não falar errado.
Além disso adorei conhecer as pessoas da classe, principalmente os meus companheiros de fundo, Gino (Quebéc), Ikran (Sri Lanka), Julio (Venezuela) e Juliana (Brasil), e claro, a Debora, que é brasileira também, ela não senta no fundo, mas a gente vai embora juntas, pois ela mora aqui perto de casa e a gente dá carona pra ela.
Ps: Quando eu sinto preguiça de estudar ou ir à aula eu sempre penso: Eu estou indo pra escola para melhorar a minha qualidade de vida, eu posso continuar falando errado, mas falando certo eu vou ser muito mais feliz aqui, é aqui que eu vivo, e é meu dever ser feliz hoje. E pronto, a preguiça vai embora.

5 comentários:

Mrs. Pie disse...

Soraya,

Keep up the good work! Acho que você está certíssima em querer viver o hoje onde você escolheu para viver. Viva cada minuto de sua vida aí e aproveite pois cada pais tem suas belezas, suas coisas boas e suas coisas ruins. Acho que quando vivemos em outro país temos o dever de saber o idioma, não por que é uma coisa obrigatória, mas por que sabendo o idioma nos sentimos "em casa"... claro que não é como nossa casa "Brasil". Continue se esforçando para melhorar cada vez mais seu ingles ou francês??? Agora fiquei em dúvida qual lingua voce fala aí nesta parte do Canada (se não equivoco o país). Não tenho nada contra os indianos, mas eles tem isso de querer ser os deuses da sabedoria e não dão espaço aos outros.
Bjs.
Mrs. Pie

Soraya Cruz Wallau disse...

Pois é, mas como viver fora é conviver com as diferenças, vou vivendo e fazendo o meu melhor!
Bjão.

Ellie disse...

Oi Soraya. Que legal que vc pensa assim. Eu concordo com vc. Saber a lingua do pais onde a gente vive melhora muito a qualidade de vida.
Boa sorte no seu curso e nao desiste nao. Beijinhos

Anônimo disse...

Ihhh, Soraya.
Vc falando sobre as aulas, eu me vi na minha. E terminei ou abandonei apos 8 meses porque parecia que estava patinando..as aulas nao andavam mais para frente e sem dizer que havia uma maluca da China que (igual a sua colega da India), tinha o dom de me interromper ou falar assuntos dela a aula inteira..falei com o professor e ele me transferiu para uma outra turma, e os colegas eram uns amores...Percebi como eh importante "quem esta do seu lado" aprendi muito nos ultimos 3 meses do que no curso inteiro..Aquela menina me atrapalhava e sem dizer que nao entendia o ingles dela. Nunca consegui.Agora dando um tempo, colocando em pratica o que aprendi para depois continuar, um outro curso, em outra escola..a noite..bjos
Marilia.BC

Walber disse...

Gostei do Ps. o negócio é ser feliz mesmo, ainda que os meios sejam sofridos (e pior que geralmente são) ficar criando desculpas não vai levar a lugar nenhum, tem superar.
ah não sei se vc lembra, faz um tempo postei aqui no seu blog na época eu tava querendo criar um, então tá aí. Vim agradecer a parcela de seu insentivo.